Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SERRA, Homem, Professor, Mestre em Educação e Mestre em Administração



Arquivos

    Outros links
     PREVISÃO DO TEMPO EM VITÓRIA: ATÉ 7 DIAS




    BLOG DO RÉGIS - PROFESSOR REGINALDO
     


    O CORPO QUE FALTOU EM "O CÓDIGO DA VINCI"

    Desde o momento que foi lançado o livro e depois o filme “O Código da Vinci”, com Tom Hanks, desejei expressar minha opinião sobre o mesmo, pois o livro convenceu muita gente que a história contada poderia ser uma verdade, e deixou outras no campo da dúvida e enfraquecidas espiritualmente.

     

    Algumas pessoas assistiram recentemente o filme em um canal pago, e as mesmas histórias de dúvidas e questionamentos reacenderam. Então chegou a hora de escrever sobre o assunto.

     

    Não estou aqui escrevendo por questão de religiosidade apenas, mas por necessidade de alertar as pessoas que o filme, embora inteligentíssimo, deixa uma lacuna tremenda, que incrivelmente passa desapercebido pela grande maioria. Assim como o livro deixa entender que encontrou a chave que faria cair por terra o Cristianismo, a própria lacuna do livro o deixa fragilizado, sem a menor possibilidade de comprovar nada.

     

    Primeiro quero dizer porque o filme é inteligente. Ele usa a própria escrita bíblica e algumas interpretações que podem ser tiradas de trechos específicos de livros antigos, usa trechos dos livros apócrifos, usa um pouco de ciência e achados históricos, usa a simbologia de grandes filósofos, cientistas e intelectuais ligados à igreja, como Leonardo da Vinci e Isaac Newton, usa os problemas seculares que a própria igreja enfrentou internamente. Faz-se uma montagem interessante com esses fundamentos e chega a um final espantoso onde se deixa interpretar que fora achado o corpo de Maria Madalena. Com esse corpo se comprovaria a herança genética daquela mulher, personagem do livro na atualidade, que seria descendente de Maria Madalena com Cristo.

     

    Abaixo, segue um resumo do livro e do filme, tirando do site “Fim do Tempos”. ACESSE AQUI O TEXTO COMPLETO.

     

    “Quase tudo aquilo que até agora nos contaram sobre Jesus é falso. Jesus não era Deus mas um simples homem. Não era solteiro mas sim casado com Maria Madalena. Era a sua preferida, acima de todos os apóstolos, e queria confiar-lhe a Igreja depois da sua morte. Deste modo queria devolver ao “sagrado feminino” o seu lugar na religião. Ele foi, por assim dizer, o primeiro feminista. As fontes destes factos são evangelhos perdidos e reencontrados no século vinte em Qumran e Nag Hammadi.

     

    Mas o apóstolo Pedro opôs-se à vontade de Jesus. Após a morte dele na cruz afastou Maria Madalena e usurpou o poder. Ela, grávida de Jesus, pôs-se em fuga com a ajuda de José de Arimateia e estabeleceu-se em França. E lá deu à luz uma filha, primeira de uma linha nunca interrompida. A Igreja fez tudo o que estava ao seu alcance para ocultar tal verdade. “Abafou o “sagrado feminino” e fez de Maria Madalena uma prostituta. A Idade Média conheceu o apogeu desta campanha: cinco milhões de mulheres, pelo menos, foram queimadas sob a acusação de bruxaria.

     

    No ano 325 o imperador romano Constantino o Grande (280-337) convocou o concílio de Niceia e fez votar, pelos bispos reunidos, a divindade de Jesus, contra as convicções do povo cristão até então. Para sustentar esta doutrina fez editar uma nova Bíblia: de entre os 80 evangelhos em uso ao tempo escolheu os quatro em que Cristo aparecia como Deus, mesmo obrigando, se necessário, a rescrever certas passagens. Todos os outros textos nos quais se abordava a humanidade de Jesus e as suas relações privilegiadas com Maria Madalena foram desprezadas, confiscadas e, finalmente, queimadas. Apesar de tudo alguns exemplares desses textos chegaram até nós: entre outros, os evangelhos apócrifos de Filipe e de Tomé.

     

    Os descendentes de Jesus e de Maria Madalena ficaram-lhes secretamente fiéis. Um dos descendentes, o cruzado Godefroid de Bouillon, conhecia o “segredo de família”. Para evitar que este segredo pudesse perder-se por sua morte fundou, em 1099, na Jerusalém reconquistada, a ordem do Priorado de Sião. Esta irmandade secreta deveria velar pela protecção da descendência, bem como pela transmissão do segredo de geração em geração. Sob pretexto de proteger os peregrinos de Jerusalém o Priorado, por sua vez, fundou um braço militar: os Cavaleiros do Templo, ou Templários. Estes encontraram nas ruínas do Templo de Salomão, em Jerusalém, documentos de conteúdo extremamente comprometedor para a Igreja. A posse desses documentos permitiu que, em tempo recorde, se encontrassem com uma imensa fortuna, e por isso se beneficiassem de um poder muito amplo. A Igreja decidiu então suprimi-los. Em 1312 o Papa Clemente V, numa operação sabiamente orquestrada, mandou prender todos os Templários. Foram condenados e queimados como heréticos. Mas os documentos escaparam-lhe.”

     

    A história acima faz parte da arquitetura do filme, e do livro, “O Código da Vinci”. Mais do que embasamentos históricos, muitas suposições foram necessárias para se criar essa “realidade”.

     

    Mas afinal, onde está a lacuna no livro?

    Está exatamente no abismo entre achar o corpo de Maria Madalena e comprovar que existe uma descendente viva nos dias atuais, sendo esta também descendente de Cristo.

     

    As pessoas não perceberam que, se realmente o corpo de Maria Madalena fosse achado se comprovaria apenas uma descendência da própria Maria Madalena, mas não se comprovaria que essa descendência envolve Cristo. Para isso, o corpo de Cristo também deveria ser achado. Isso é questão de ciência, e a medicina explicaria melhor que para se provar descendência de um homem, deve-se ter o seu corpo para um DNA (método mais usado nos dias atuais).

     

    Óbvio que o foco do filme não é Maria Madalena, mas sim Cristo e o cristianismo. Mas só arriscaram afirmar que o corpo de Maria Madalena fora localizado, e com ele se ludibriou sabiamente a mente dos leitores.

     

    E o corpo de Cristo?

     

    Jesus Cristo subiu aos céus em corpo e alma. Não há, na terra, como provar descendência alguma. O final do filme, neste caso, de impressionante passa a ser insignificante.

     

    Não sei o que você pensa, ou em que você acredita, fiz aqui apenas uma análise da lacuna deixada no filme.

     

    Seguem abaixo alguns livros que contestam “O Código da Vinci”, produzidos por escritores cristãos, cientistas, teólogos e historiadores:

     

     - O Código da Vinci - O código da mentira - Eric Vieira Januário

    - O Código Da Vinci – Embuste e Falsificação.

    - A Verdade por Trás de O Código Da Vinci - A RICHARD ABANES 

    - Decodificando Da Vinci - AMY WELBORN  

    - Desmascarando o Código Da Vinci - JAMES L. GARLOW e PETER JONES 

    - Verdade e a Ficção em O Código da Vinci - A BART D. EHRMAN

    - Fraude do Código Da Vinci -  A ERWIN W. LUTZER  

    - Desautorizando "O Código Da Vinci" - Samuel Costa



    Escrito por Régis - Professor Reginaldo às 01h40
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    GOLPE E MÁ FÉ NA GRANDE VITÓRIA ENVOLVE CARTÕES DE CRÉDITO E DÉBITO

    Esta informação está sendo divulgada em primeira mão por este blog. Estarei repassando essa matéria aos canais de comunicação de maior circulação no estado, os jornais A TRIBUNA e A GAZETA, e também para o PROCON estadual. Não garanto que haverá matéria específica nesses jornais, ou mesmo que o PROCON tomará providências, mas minha parte está sendo feita.

    As informações e conclusões dessa matéria foram tiradas por observação dos fatos e por testemunhar uma tentativa de golpe a uma pessoa da família. Então fiquem atentos, pois este é o mais novo golpe no estado, e talvez no país.

    Pessoas de má fé que trabalham na função de vendedores, atendentes, caixas de lojas, ou de boates, ou de outros ambientes, estão se aproveitando de uma “falha” momentânea das maquininhas de cartão de crédito e débito para extrair dinheiro alheio.

    O golpe se concentra no pagamento com cartões que possuem chip. A sequência do golpe é a seguinte:

    1º – O funcionário do caixa insere seu cartão de crédito ou débito na maquininha, digita o valor comprado/consumido e solicita que você digite a senha.

    2º – Após digitar sua senha a maquininha estranhamente mostra uma mensagem de “SENHA BLOQUEADA”. Essa mensagem fica na tela da máquina por 5 a 10 segundos, mas depois libera a cobrança. Porém, o funcionário do caixa munido de muita má fé, mostra a mensagem de falha ao cliente nesse intervalo de 5 a 10 segundos, diz que o pagamento não foi concluído e tenta novamente passar o valor, sabendo ele que o valor na verdade já foi cobrado.

    3º – Em uma nova tentativa, você então digita a senha, entrega a maquininha ao caixa e o mesmo vê novamente a mensagem de “SENHA BLOQUEADA”, mas o esperto(a) já sabe que logo o sistema liberará a cobrança. Informa ao cliente que o cartão passou na segunda tentativa, quando na verdade já havia passado na primeira também.

    Em alguns casos, o cliente achando que o cartão está com problema ou bloqueado acaba pagando a conta com outro cartão, cheque ou dinheiro. Na verdade, está pagando em dobro.

    O detalhe é que a maquininha, após liberar a cobrança do cartão, emite automaticamente o comprovante de pagamento. Porém, dependendo do ambiente e da difícil visualização do cliente para o interior do caixa, esta impressão não é percebida, facilitando que pessoas de má fé se aproveitem dessa estranha falha das maquininhas de cobrança.

    Fica fácil imaginar onde esse golpe é aplicado com maior freqüência. Os lugares favoritos são os ambientes escuros e aqueles onde os clientes normalmente consomem álcool, como barzinhos e boates.

    Este problema envolvendo a mensagem “SENHA BLOQUEADA” é de certa forma recente. É de responsabilidade dos fabricantes das maquininhas de cobrança (CIELO e REDECARD, que são as principais). Este Blog também está comunicando o fato a essas redes de cobrança.

    Sugiro a todos que se recordem dos últimos ambientes freqüentados, de quantas vezes o funcionário do caixa informou que o cartão estava bloqueado, se houve mais de uma tentativa de fazer o pagamento com o mesmo cartão, se houve cobrança na fatura em datas que o cartão teoricamente não havia passado e, principalmente, se há cobrança duplicada na fatura do cartão de crédito.

    Muito importante: confiram com bastante atenção o detalhamento da sua fatura do cartão de crédito e o extrato da sua conta corrente.

    Fiquem atentos!



    Escrito por Régis - Professor Reginaldo às 22h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]